quinta-feira, 30 de junho de 2016

Shark gives 'virgin birth'?



Segundo a noticia, um tubarão leopardo fêmea, deu a luz, sem ter auxilio de um macho. Este fenómeno é chamado de Parthenogenesis, algo deverás estranho por um lado, contudo devido aos vários ciclos que aconteceram no desenvolvimento da nossa evolução, verificamos que num dado momento foi vulgar. 

O conceito que surge na biblia, da concepção do Eden, em que o Homem deu a costela a Deus, para ele fazer a Mulher, está na base da multiplicação das bactérias, por efeito de clonagem e não propriamente como forma de fecundação. 


A fecundação, veio a surgir milhões de anos mais tarde, potenciando a diversidade dos elementos, com a respectiva conjugação. 

 O meu interesse neste registo, coloca-se até que ponto estaremos a criar novamente uma regressão a base, de forma a realizarmos como processo de clonagem, tendo em conta que a raça humana tem um número finito de seres humanos. 

A pseudo diversidade que supostamente existe é colocada em causa quando vimos a colocação de um site com a informação: Twin Strangers

O site não é preocupante, o mais engraçado é perceber que estamos a procura de pessoas que possam ser parecidas connosco. Não basta o DNA, e a respectiva identificação de filiações, como também a necessidade de perceber como geneticamente poderá haver alguém parecido comigo no outro canto do mundo?

E o pormenor, quem fará o rastreio das nossas identificações, conciliando com os DNA dispares num dado momento? E que tipo de conjugação irão fazer com respectivos companheiros/companheiras, se será semelhantes como nos gémeos verdadeiros.  

Perceber que a diversidade se repete a cada 7 a 8 gerações, e que temos um conjunto limite de diversidade facial e corporal, coloca-nos num registo que a seu tempo, entraremos facilmente no controle de quais serão os modelos mais fáceis de serem clonados e reproduzidos em grande escala, e quais serão os modelos a serem eliminados!

Como algo tão simpático como a Parthenogenesis, pode ajudar a manter uma pseudo hierarquia social!!!

E dessa forma chegaremos ao mundo do 1984, Admirável Mundo Novo, ou Fahrenheit 451!!!

No meio, desta ilusão vemos que afinal a Utopia está a um passo de acontecer!!!! 
Deliciosamente ternurenta e cruel!!! 

Obra da Natureza!!!

Cena 7

Chove lá fora!
Ela está a chorar! E escreve ao computador! Pelo blogue que comunica com o mundo!
As letras invadem o ecrá, ela chora compulsivamente!

Ouve-se a voz off emocionada:


Os dias passam e a vida vai acontecendo entre os pingos da chuva que cai!

Nos momentos que teimam em demorar, olhamos para o lado e pensamos o que já foi, já foi! Questionamos amizades, ponderamos existências, como se vive com a possibilidade de contacto?

A saudade aperta e raios como aperta! Contudo temos de largar, e neste largar algumas coisas olhamos para a rede, que ensina como esquecer alguém em 3 passos.

A vida é demasiado bizarra:
via http://pt.wikihow.com/Esquecer-Algu%C3%A9m-que-N%C3%A3o-o(a)-Ama
  1. Tirando um tempo para refletir
  2. Começando a esquecer
  3. Terminando de forma limpa

Tirando um tempo para reflectir:
  • Chore, mas chore bastante. 
  • Pense em todas as coisas ruins relacionadas com a pessoa que você amava.
  • Imagine algumas das consequências negativas da sua interação com essa pessoa.
Começando a esquecer
  • Livre-se de tudo que te lembre dela até ter esquecê-la. 
  • Saia de férias. 
  • Tire-a da cabeça. Sair com os amigos, associar-se a um clube (de teatro, escrita criativa, leitura, clubes online etc.) são atitudes que ajudam bastante.
Terminando de forma Limpa
  • Se estiver preparada, tente encontrar um novo amor. 
  • Aprenda com os erros de relacionamentos passados ao procurar alguém especial. 
  • Tenha em mente que o que houve entre vocês foi bom e que tudo tem um fim. 
  • Desista agora de falsas esperanças.

-------------
  • Lembre que não há absolutamente nada de errado com você e se ele/ela não lhe aceitou como você é, então essa pessoa não vale a pena! É difícil pensar nisso, mas é a verdade. Você merece estar com alguém que realmente se importa.
  • Se for preciso, limite todo ou quase todo o contato com a pessoa.
  • Concentre-se no que realmente importa. Não seja obcecada por ele/ela. Lembre-se de que sempre haverá outra pessoa, alguém melhor.
  • Pode ser bom pensar que a vida é melhor sem ter essa pessoa em sua vida, não importa quem ela seja. Não perca muito tempo procurando um novo amor, senão você ficará confusa sobre o que isso significa e se machucará ainda mais. Felicidade, beleza e sexualidade não são amor, são apenas extras.
  • Saiba que existem outras pessoas por aí e que não importa o quanto você amou, o tempo irá curar todas as feridas.
  • Concentre-se em quebrar o ciclo de manipulação. Escute sua consciência. Geralmente sua primeira reação é a coisa certa a fazer.
  • Se ele/ela fizer algo que lhe chateia de alguma forma, talvez ela não seja a pessoa certa.
  • Quando for procurar um novo amor, não limite-se a um só tipo de pessoa. Experimente um pouco. Se suas expectativas ou necessidades forem altas demais, será muito difícil satisfazê-las. Não espere que seu novo amor seja exatamente igual ao antigo, porque é provável que ele não seja. Não procure alguém que se pareça com ele ou pessoas musculosas, que saibam cozinhar ou cantar. Lembrar-se dessas dicas lhe ajudará a encontrar a pessoa certa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Contudo tudo isto é deverás estranho, como fazer tudo passo a passo, como andar, como fazer amor, como esquecer alguém que mexeu connosco de uma forma deverás intensa! E até que ponto que tem a percepção de mexeu? Falar, será que vale a pena? Tudo na vida cansa! E a determinado momento é criar condições para esquecer! Afinal a vida é muito mais que alguém que não quer saber de nós, que não responde as mensagens, que diz no discurso parvo e atónico, tu és minha amiga! 

Qual amiga, deixa tudo para estar com o outro? Puxa pelo outro, sempre que surgem as dúvidas, ensina a viver de forma mais equilibrada em determinados momentos? Que vai buscar um mimo? Que leva ingredientes para fazer um jantar ou um almoço? Que partilha porque acredita que uma relação é para estar em pé de igualdade? Qual Amiga que fica horas a espera para que o trabalho de ultima hora seja feito!

Qual amiga, qual quê?
E tudo sempre visto como sendo pouco, como sendo desnecessário, afinal não valia a pena preocupar! eu faço tudo! Esta sensação de individualidade sempre presente, esta não partilha, tão máscula como parva, sem sentido, sem valor! 

Qual amiga, qual quê!
Os amigos não se envolvem, os amigos mandam-te plantar batatas e voltam a rir com uma piada parva do momento! E aquela sensação de se convencer, dito a todos os momentos, Tu és só uma amiga! Pelo que sei, oiço perfeitamente a primeira vez, e oiço a segunda! A terceira, dirás para mim ou dirás para ti? Tentando convencer para lidares com as incertezas, afinal não viveste o período de nojo! Estou farta de ti! Desta paz podre, desta falta de coragem em agarrares a tua vida e lutares por ela! Estou farta de ser colocada a margem de ti, mesmo estando sempre pronta para te apoiar! Estou farta de estar a chorar, e sentir o vazio que se instala! Estou farta de ter de olhar para o telemóvel e nada ver! DOÍ!!!! Sua Besta! DOÍ!!!!!! 

E se tu falasses comigo? Não sei como iria reagir! Merda para ti! Tenho de odiar-te!!!!!

..............

Entre um choro compulsivo.

Voz OFF Feminina
Não vale a pena enviar! Ele não vai ler! Ele nem sequer se lembra já de mim!
Carrega por engano no publicar!

O choro cessa, entra em choque! E o pc desliga-se e falta a luz!


[fim da cena]



segunda-feira, 27 de junho de 2016

... as saudades ... aí as saudades...


Os dias passam...




Os dias teimam em passar, sem nada ficar para além das respostas que ficam no ar. Entre a mensagem da coincidência, que fortalece a esperança... essa maldita que morre por último. E a sensação de que não há o amanhã, que fica sempre entre os olhares que passam! 

Passa-se pelos locais, os primeiros e criam-se novas memórias, para não levar as lágrimas invadirem os olhos. Sempre nessa pertinência de acontecer! A amiga pergunta: Ui o que se passa? Hum um novo jantar para falarmos e contarmos tantas coisas! As pessoas que evitam em falar, em perguntar para além da sua dor! Partilhar desgostos, não é assim tão simpático, por isso evita-se! 

E nestes dias evita-se uma vivência de tudo!!! A dor, a felicidade, sempre tudo tão esbatido! tão sem cor!

E os textos entram pelo meio de leituras perdidas, por entre as músicas de Einaudi! A alma treme ao ouvir o tocar do piano! o desejo de fazer acontecer, o desejo de um toque, de uma palavra, de um olhar... esfuma-se sempre que se lembram as palavras... 

Deixar de amar, deixar de se gostar, como se faz? Quando tudo deixa de fazer sentido? 

Nos dias que passam, todos aceleram, todos dizem ao final de alguns dias... Tu vais ser feliz! Tu vais encontrar alguém! E nestes momentos só questiono, será que realmente estão ali, aqui e agora comigo? 

Esta aceleração para que a dor deixe de habitar a alma, para que ela seja somente uma ilusão, uma miragem... não consigo deixar de sentir! Não consigo arrancar este sentimento do peito, e deita-lo para o chão e pisar! Gritar a este coração ou alma, e dizer como foi capaz de acreditar que poderia haver um sentimento nobre para além de um encontro de corpos?

“O sexo começa nos olhos, naquele primeiro olhar de conquista, quando duas pupilas sedentas se tocam e se acariciam. O sexo começa quando o desejo nos faz mordiscar nossos lábios graciosamente. O sexo começa nas conversas e afinidades partilhadas com entusiasmo e carinho. O sexo começa nas mãos que se roçam de leve e nas pernas que se tocam sem querer e que não negam esse encontro”. (Vanelli Doratioto)

O que fica?

Não sei bem!!! oiço a música ao fundo e sinto a cada momento a vontade de me perder, de desaparecer, por entre uma estrada que caminha, sem nunca mais voltar! Ir e não largar a mochila! 

Este desejo de partir, cada vez mais intenso, cada vez mais presente! A um ano entreguei o meu coração ao caminho, acreditando piamente, que não haveria nada! E no final de alguns meses, ele voltou a bater! E no meio deste caminho sinuoso, deixei-me ir, perdendo-me por entre fim de semana sempre condicionados, vontades sempre trocadas, as prioridades de outrora tornaram-se cada vez mais uma miragem... no meio de todas as ilusões, não existiram!

e entre leituras vãs, surge a loucura de lembrar...

"O sexo começa antes do sexo. O sexo começa nos olhos, naquele primeiro olhar de conquista, quando duas pupilas sedentas se tocam e se acariciam. O sexo começa quando o desejo nos faz mordiscar nossos lábios graciosamente. O sexo começa nas conversas e afinidades partilhadas com entusiasmo e carinho. O sexo começa no momento em que o outro entra na gente, não pelo físico, mas pelo coração. Quando esse outro começa a fazer a diferença em nossa vida e chama sedento todo nosso eu para partilhar um novo mundo com ele.
Ah, o sexo começa com as mãos que se roçam de leve. Com as pernas que se tocam sem querer e que não negam esse encontro. O sexo começa no cílio que é retirado dos olhos com delicadeza ou com o guardanapo que limpa o restinho de espuma do canto da boca.
O sexo começa em um simples “oi” quando o outro te sorri maliciosamente com o canto da boca. O sexo começa na admiração. Na disposição de entender. Na vontade de conhecer o mundo por outros olhos. O sexo começa nos livros trocados, nas mensagens virtuais dedilhadas, no abraço apertado dentro do elevador. O sexo pra ser bom começa na excitação que o outro nos causa sem precisar fazer esforço para isso.

E o salto alucinante para outra sensação, de que só vive realmente na luz, quem sabe habitar nas trevas, esta necessidade de todos evitarem-na coloca somente a dificuldade em identificar os cinzentos que nos habitam, em nós e nos outros, e surge a leitura:

"De acordo com o psicanalista Carl Gustav Jung ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão. A consciência da existência da noite traz temor, mas também incita à reflexão e à fé. Não podemos esquecer que é na escuridão da noite que se anunciam as estrelas com seus brilhos encantadores. Durante o dia elas estão lá, mas não podem ser vistas. A “noite escura da alma” nos empurra para que busquemos o melhor em nós. O melhor nas situações que nos surgem. O melhor nas possibilidades futuras."

E esta maldita esperança, como na peça a Velha Esperança, em cena no Trindade, surge a dúvida de que no amor, no gostar-se se é tão somente egoísta! A velha pede ao Deus, que lhe dê um sinal de que o seu amor perdido na vida...

E no último momento surge, aquele pente que cai, as iniciais que se vê... e o chorar de saber que a vida passou sem oportunidade de reencontro! O amor de se ver para além de todos os desencontros! A vida é tão superficial, não se vive na maioria dos tempos, somente sobrevive! E quando agarra o casaco, e mexe nos bolsos, a carta de amor, a contar que sempre a viu apesar de ter fugido! 

E a empatia que surge, pela mulher que ficou para trás, que ficou perdida num dado caminho, que foi impossibilitada de realizar algo mais do que o o dia a dia, porque se tinha medo dela abandonar! E foge-se, para não se ser abandonado-se, simplesmente abandona-se! 

E as lágrimas caem pela cara, o coração salta, e o som da maquina que a liga a vida, intensifica a cada momento, para o coração da Esperança e por movimento profundo, pará o meu! Solidário! 

A dor é demasiado intensa, muito fria! E oiço dentro de mim somente a vida a ir-se...

E nesta carta que escrevo... não consigo deixar de sentir que regressei ao caminho, pé ante pé! Sinto a alma a levar-me para novos desafios. Tenho medo, e nem sei como falar do amanha se o hoje doi tanto!!!!

E questiono-me o que aconteceu? Foi só carnal?

...
..
.





domingo, 26 de junho de 2016

Cena 3

Abre a Luz, fecha os olhos! Muita claridade logo ao acordar!
Senta-se na sanita! A tampa está aberta! Sempre aberta!

Flash!

- Deixas sempre a tampa aberta! Parece que a nossa casa de banho é um WC público! Não vês que é feio, decadente!

- Uma sanita decadente? Ah Ah! Não posso! Só se for pela merda que desce pelo cano!

- Podes não ser assim tão vulgar?

- Isso é uma das coisas que gostas de mim! Entre tantas outras!

- Convencido! E o que tu gostas em mim?

- Do teu riso! É Histérico, dá sempre para continuar a rir, quando todos param de rir!

Um riso ao longe, um deitar sobre a cama!
Um puxar dos lençóis! Uma luta de cocégas! Risos!




Voz OFF!

Volta a realidade! Hoje não podes ir por aí! Hoje não! Já não! Faz lá o serviço, e tens de lavar a cara! Para ires correr! Hoje tens de ir por aqui! Correr! Ela ia gostar!

Levanta-se, despeja o autoclismo, fecha a tampa!
Aproxima-se do lavatório, olha para a banheira! 

Flash!

Um corpo nu debaixo de água!


Tem uma tontura!Agarra-se ao lavatório!



Voz OFF!

Se calhar hoje ficas em casa! Não hoje não podes! Se calhar é melhor! Hoje tens de ser forte!


Lava a cara! levanta a cabeça lentamente, e olha-se ao espelho!

Tem olheiras de quem não dorme bem a muito tempo! A barba é de alguns dias! Está com o cabelo grisalho! O cabelo despenteado, com as entradas cada vez mais salientes.

Olha-se no espelho por mais de 2 minutos!
Lava outra vez a cara, seca-a na toalha azul!
Vira-se e sai da casa de banho! 
Fecha a luz e fecha a porta!


O som dos passos a afastarem-se!




Cena 2

Voz OFF!

Acordar! Hoje é dia de falar com o Chefe! O que vai ele dizer desta vez! Tenho de levantar e ir correr! São 5h! O despertador ainda não tocou!

Olha para o lado, a cama vazia!



Voz OFF!

Tenho de arranjar mais uma almofada! Esta cama está vazia! Se calhar arranjo duas! Ou uma de corpo inteiro!

Olha para o tecto! Ao longe, ouve-se a descer pelas escadas um vizinho!




Voz OFF!

Olha o vizinho do 3º D, lá vai para o trabalho! Que seca que deve ser trabalhar numa pastelaria, por um lado tem sempre bolos, mas depois é sempre bolos! Só açucar! A mulher dele é que é gira, mas convencida também! Tenho de ir correr!

Começa a chover lá fora!



Voz OFF!

Só faltava chover! Hoje não! Faz cinco anos! Raios tenho de deixar de pensar nisto! Não vou a lado algum! Levanta-te murcão! Hoje tens de levantar, não vais cair na cama! Hoje não! 


Senta-se na cama, esfrega as mãos na cara! Bebe um copo de água! O dia ainda não clareou! 
Levanta-se, abre as janelas, abre o vidro. Recebe o cheiro da rua molhada! Perto existe o jardim! Cheira a terra molhada! Hoje está excelente para correr! Chove!

Segue para a casa de banho!






Noite & 2 Margens





























quinta-feira, 23 de junho de 2016

Visitas ao Passado

No dia de hoje a visita ao passado imperou! 
De uma necessidade de ir a um local, realizar uma missão, aconteceu o inesperado, visitar o local de origens dos medos, dos receios, das primeiras humilhações. 

O local que outrora havia sido enorme, maior que a minha vida inteira, afinal era pequeno! 

A visita a aldeia que me viu a crescer, a lembrar-me da partida atrás da camioneta com as tralhas todas, o passar pelas casas que foram de amas que tive. O visitar uma aldeia que outrora estava cheia de vida, e hoje era somente fantasmas! 

Apesar campos terem sido ceifados, e construídas casas novas e enormes por todos os locais, permitiu-me ver que apesar da riqueza, havia algo que não tinha mudado... o silêncio dos caminhos de terra, agora alcatroados. 

E no meio das pesquisas de coisas e devaneios, vou parar a minha tese!

No passado, a 8 anos atrás estudei os conceitos da confiança como base segura para a felicidade, nome pomposo, deveras! Contudo tão fundamental nos dias que demoram a passar.

Comecei a minha tese com...

“As nossas dúvidas são traidoras e fazem-nos perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.” William Shakespeare


e terminei com...

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..." 

A reflexão que realizei de forma deverás pobre, sobre os resultados obtidos...

"Reflexão 

Relacionando as diferentes temáticas, verificamos a importância das primeiras relações na vida de cada indivíduo. Foi constatado neste estudo, que a existência de uma base insegura apresenta uma correlação com o aumento da ansiedade traço de cada individuo, relacionando por sua vez com o relato autobiográfico do individuo, nomeadamente na resolução do dilema confiança versus desconfiança (Erikson, 1969), onde a relação de confiança preferencial é com o pai, validando desta forma a construção de um script de base insegura da figura materna. 

Durante a análise das histórias de vida é verificado que a existência de figuras substituas afectivas parece conduzir a uma diminuição da ansiedade traço, como também minimizar as consequências negativas da ocorrência da falha básica, consequência de uma vinculação insegura. Redefinindo o modelo operante interno ajustado a nova realidade. 

Desta forma, conduzir a uma transmissão transgeracional da vinculação, reflectida na concepção pessoal de felicidade de cada um, pelo lado da generatividade, ou seja, a preocupação com o outro. 

Desta forma pode-se referir que o desenvolvimento da confiança, com base numa relação vinculativa com a mãe, diminuirá a ansiedade e consequentemente atenuará o surgimento do medo de serem felizes, arriscando e assumindo os diversos desafios ao longo de um ciclo de vida."

No meio disto tudo...


termino o dia com o pensamento: 

“As nossas dúvidas são traidoras e fazem-nos perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.” William Shakespeare

Como vais Mundo? Como vais Maquina?

E fazemos a vida acontecer, entre uma pergunta e outra. 
As emoções de uma dado momento teimam em não se esbater, ficam lá, sempre a tomar consciência de que a vida existe e dói.

Temos medo de tudo o que vem das entranhas, tudo o que é visceral! Ama-se, mas nos dias de hoje diminui-se todos os sentimentos, porque sentir é estar constantemente sem domínio da dor, que provoca constantemente a dúvida sobre o que é sentir!

A vida vive-se como se fosse uma só miragem! a entrega de outrora não se realiza, não se concretiza, simplesmente, fica-se a espera que tudo seja tocado, nunca experiência-do. Como se um dia fosse somente uma vivência de uma mecanização de emoções, sentimentos, comportamentos. 

Somos maquinas, que por seu motivo sentem, não deviam, mas sentem! Não se permite que seja mais do que um comportamento esperado! Mandar as pessoas a Merda, é deverás assustador, porque significa que estamos a ser agressivos, gozar com a diferença, em muitos momentos é nada mais do que maltratar, contudo é algo que não se faz! 

E as pessoas de bem em momento algum são agressivos, são somente optimistas, empreendedoras, espíritos mais avançados que o seu tempo! A agressividade bem direccionada é tão somente assertividade. Os nomes mudam e tornam as emoções menos intensas, retiram poder a emoção e a palavra. 

Hoje acordei....


Hoje acordei e li, que devido a intensidade das palavras, no meio do brasil, na selva amazónica havia sofrimento das tribos locais! Havia sido roubado o tempo e o espaço da possibilidade delas existirem para além das condicionantes do mundo ocidental. Tão sofisticado como igualmente barbaro! 

Esta postura imperialista que nos tinge a alma, que nos desumaniza, que nos tira a alma de um corpo que cada vida teima em não ser nosso! 

Neste registo constante de ser somente uma maquina! Sem possibilidade de ter energia!  


A vida acontece nos intervalos da chuva!!!
E nesses momento é tão somente vida e nada mais!!!! O aqui e o agora!
O eterno momento Carpe Diem!

e deseja-se que seja cada vez mais, mais momentos, mais vida!

....




terça-feira, 21 de junho de 2016

Podia ter sido escrito por mim e não seria menos verdade!

Quero que me ames e que sejas amado. Quero-te!

Quero agarrar-te. Agarrar-me a ti de tal modo que fiques e que não vás embora. Agarrar-me a ti a rir, a chorar, ou a contar-te todos os meus sonhos e tu os teus.
Quero poder dar-te a mão na rua, na praia, nas montanhas, em casa e na lua, sem motivo e com motivo.
Quero poder ouvir-te. Ouvir a tua voz todos os dias e memorizá-la para cada vez que sentir saudades. Quero ouvir todos os teus segredos (até os mais íntimos), todos os teus medos (até os mais ridículos), todos os teus sonhos (até os impossíveis) e quero poder ouvir-te a falar enquanto dormes (se é que o fazes). Quero poder ouvir-te mesmo quando não há nada para dizer.
Quero sentir-te.
Quero sentir o teu toque, quero sentir a tua mão a passar pelo meu cabelo e os teus lábios a encostarem-se ao meu ouvido, na melodia de um sussurro de vontades e segredos. Sentir os teus lábios nos meus até não haver mais amanhã. Passar por ti e sentir os nossos corpos a tocarem. Quero que olhes para mim como eu vou olhar para ti nesse instante.
Quero ver-te dormir e imaginar o que está a passar pela tua cabeça. Quero deixar-te dormir em segurança. Ver-te a babar sem razão nenhuma. Poder sussurrar-te ao ouvido e dar-te um beijo de boa noite. Quero dormir contigo.
Quero sonhar contigo as maiores e melhores aventuras. Sonhar contigo que fugimos para conhecer o mundo. Quero sonhar contigo que estamos a saltar em nuvens de algodão doce, porque parte de nós será sempre criança. Sonhar contigo um conto de fadas que sabemos que não existe e sonhar contigo o que tu queiras sonhar. Qualquer coisa.
Quero que acordes confiante e com vontade de rir. Quero ver-te a abrir os olhos e desejar-te um bom dia. Que acordes a sentir que podes e consegues. Que acordes, basta isso. Não faz mal se decides acordar com um mau humor que não se aguenta ou mesmo doente, apenas acorda.
Quero cuidar de ti em todo o lado. Por todas as razões. Cuidar de ti na saúde e na doença. Cuidar de ti quando estiveres com dores de cabeça ou com dores de barriga. Quero cuidar de ti apenas porque sim.
Quero que sejas feliz. Quero que sejas como és e quem és. Quero que sejas uma pessoa verdadeira e que alcances todos os teus sonhos. Que não fiques pelo desejar ou pelo querer. Que vás mais além. Que lutes e se não tiveres forças, ainda me restam algumas. Que queiras viver. Que tenhas alegria em viver!
Quero que estejas bem. Que chores porque não és forte o tempo todo. Que rias. Que grites. Que precises e que sejas precisado.
Quero que me ames e que sejas amado. Quero que queiras.
Texto de Daniela Oliveira

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Einaudi - "Elegy for the Arctic"

Cena 1

Voz off!

Colocar a tábua branca na mármore branca. Descascar a batata doce laranja, dos EUA. Cortar em Circulos, depois em quadrados e rectângulos. Nunca sai direito! Colocar o Milho a cozer! Comida Vegan misturada com Carne de tempos a tempos! Grande Vegan! Acender o bico do fogão. Isto vai durar tempo! Eu tenho tempo, ninguém espera por mim! Eu não espero por ninguém! Eu não espero por ninguém! Merda pus pouca água! Colocar água no caneco, colocar no tacho! 

um flash

A corrida matinal, o cão que olhou como se o reconhecesse! olhou profundamente!

Volta ao jantar!


Voz OFF

Tenho de cortar os cogumelos! Tirar do frigorífico, lavar, cortar em tiras finas... falta colocar a música! Hoje ouvimos Einaudi! Tirar o vinho! Tomar um copo! Ir buscar as especiarias! É sempre todos os dias a mesma coisa! 


Um flash

Um dedo apontado com agressividade - Tu não és capaz! És uma merda! És uma desilusão!


VOZ OFF

Raios, tenho de ir buscar o azeite! Quando é que isto para! Estou cansado! Este vinho sabe... sabe...


Um flash

Um riso, um momento descontraído! uma tarde de inverno longínqua, desfocado!


Voz OFF

Vamos acabar o jantar! Não posso estar sempre a ir buscar outros mundos, é melhor tomar mais um copo. Assim é mais fácil! Está com pouca água! Vamos fazer a salada para acompanhar! Vou para a varanda ver o por de sol! Hoje a cidade está calma! Hoje posso jantar lá fora! 

Deixa de falar, foca-se em colocar a mesa, um prato, uma faca, um garfo. Um guardanapo, o copo com vinho! a Musica a tocar! Senta-se... O sol começa-se a por-se. Ele janta sozinho!

O sol põe-se!

Fecho cena 1

Carta ao Universo... seja o nome que tenha!

olá! 

Bom Dia Universo! ou qualquer outra coisa!

estou a escrever-te porque estou cansada, por vários motivos... em que tens inteira responsabilidade! Nesta teoria do universo, em que escolhemos a vida antes de encarnarmos, de que escolhemos a personagem como se fosse um jogo da playstation, estou cansada de ter sido tele-transportada para este destino, estar constantemente a ajudar o mundo e sentir que todos os objectivos que vou lutando, vão ficando tão mais esquecidos no tempo, que nem sequer existe!!!

O aqui e agora, coloca-me na impossibilidade de pensar num plano de resgatar a minha vida, e potencia-la, tendo em conta que tem de ser realizado um re-boot. E o jogo ainda não acabou! 

Neste pseudo potencial tudo se vai ficando pela rama, as emoções de vários não vividas, as pessoas ficam presas ao passado, abandonam toda a vivência do agora porque não conseguem perceber porque viveram da forma como viveram... e porque razão a determinados momentos foram levados a viver assim!

Estou cansada, porque não avisaste que o jogo/vida tinha poucas regras, e a cada momento tudo poderia mudar! 

Não foste honesto, colocaste pessoas no meu caminho, para me levares a este local, a ouvir música zen, para te conseguir escrever, tendo em conta a tua pseudo transcendência.

Creio que vendes uma falsa ideia que retornas tudo, com os karmas e afins! Estou cansada de ser uma alma velha, de estar sempre a ensinar toda a gente, de tão poucos realmente se preocuparem-se... E as vezes só preciso de um colo!

Estou cansada, por estares sempre a colocar desafios e mais desafios, e ter de superar um a um! Cansa todos os dias e cada vez mais, cansa estar sempre com a sensação que estou num deserto!

Estou cansada porque não tens sido honesto desde o principio, se eu encarnei aqui, neste papel, de certeza, que devo ter rido imenso, com o teu humor, a dizer que poderia transformar o mundo, mas que na prática ia ter de levar uma vida inteira! Estou tão farta de tudo isto! 

Poderia dizer-te quero desistir, mas antes morrer do que parar! Quer dizer se eu morresse seria uma forma de parar tudo! Mas estou farta de ti e de todas as tuas simpatias que mandas ao mundo, para darmos as energias uns aos outros, para nos colocarmos no caminho uns dos outros!

Estou tão farta de tudo! Sempre que uma amor parte, ter de aprender uma coisa nova, de envolver-me num movimento sem parar! Estou cansada, de ver continuadamente todos a puderem ser felizes... 

E eu vou ficando naquela sensação de que ser inteligente não é compatível com ser-se feliz, que estar no género menos dominante em poder, mas mais significativamente maior em números, não me dá a possibilidade de ser feliz!

Estou cansada pelos desgostos de amor! Vão somando a conta! Estou cansada de ser um líder sem grande capacidade de transformar vidas, estou cansada de ver sempre que uma serie de pessoas transforma o mundo!

Estou cansada das novas tecnologias, de tirarem a possibilidade de explorar o mundo com uma conversa! 

Estou cansada do mundo bizarro, de fazerem experiências para acrescentar ao CV da vida, como se a vida fosse um acumular de experiências, nesta necessidade estúpida de consumismo para preencherem um vazio que espreita e invade em cada momento, porque o AQUI e AGORA não se vive... 

Estou desiludida contigo, porque teimaste em algo que eu identifiquei que não ia ser bom, mas mesmo assim tu colocaste no mundo!!!!! No meu mundo!

Por isso vou sabotar o teu jogo e vou parar e mandar-te plantar batatas!!!!

Estou saturada de ti e de toda a pseudo energia e karmas e afins!!!! 

Vou tirar uns dias!!!!! para não fazer nada senão viver a rotina!!!!

sábado, 18 de junho de 2016

Mudanças & diálogos

- E continuas a falar de silêncio!

- Sabes bem que eles são essenciais ao desenvolvimento pessoal! 

- São essenciais ao desenvolvimento humano... hum... eu costumo dizer que cada um mente a si mesmo com os melhores argumentos... 

- Estou em reflexão, em conhecer-me a mim mesma!

- Gostas de te enganar, não vivências as tuas emoções na totalidade, e falas em silêncios, energias pacificas e estados de alma profundos, como se a tua imensidão da emoção, fosse realmente profunda! Não exploras a tua essência humana, não te conheces a ti mesma, porque estás cheia de medo de te ligares, e vens com conversa de estares mais de acordo com a tua energia! A sério, queres mesmo ir por aí?

- Creio que não percebes o que estou a falar,eu estou a falar de uma profundidade de acordo com as leis do Karma, com outras vidas! Tu não percebes! Só passando, é que vais atingir o que estou a falar!

- A sério queres ir por ai? 

- Tu não percebes!

- Queres mesmo ir por aí?

- Tu és teimoso! Não percebes nada de energia, e nem sequer queres aprender!

- Vamos lá! Então vamos lá argumentar! A nossa relação baseia-se entre trocas de fluidos e conversas filosóficas, e nada mais!

- Estás a desrespeitar-me! Não me compreendes! Tu necessitas de procurar a tua luz, estares de acordo com a tua energia, de acordo com o teu Karma!!!

- Tu escolheste! Peço-te desculpa agora, porque não te vou pedir quando te vir a zangar e a partir a louça toda, quando estiveres sozinha no chão da tua cozinha a perceber porque ficaste sozinha uma vez mais!

- Tens a mania de que sabes imenso, mas estás sempre tenso! Chateado, a cobrar algo que eu nunca te prometi dar!

- A sério? Vamos lá começar! 

- Estás a rir com satisfação, nem percebes que estás a lutar com a tua energia, com a tua luz, a fugir de ti!

- Eu avisei-te e quando começar, não vou parar!

- Tu não consegues perceber! Tu estás sempre tenso!

- Merda para isto tudo! Tu vens com filosofias e expressões encontradas num ciber espaço que todos procuram informações... já te deste ao trabalho e foste as várias bibliotecas, e leste os manuais que explicam os vários movimentos e modelos das várias esferas da vida? Vês falar de energias, quando a física quântica te explica os vários movimentos do universo? Vens falar de conceitos que estão presentes na ciência do agora, mas que são falados a milhares de anos, por imensas culturas e passados como forma de lendas e parábolas, histórias que alimentam o colectivo humano? Falas-me das sucessivas vidas, e de como nos encontramos vidas e vidas, umas atrás das outras, quando nem sequer sais da tua concha? Falas da teoria das energias, quando nem sequer lês a teoria das cordas? Vens falar movimentos de outras vidas e futuros e passados que nunca viste nesta vida?Falas de toda a Teoria Humana, e tudo o resto que há para falar, sem sequer falares da tua dificuldade em amares?

- Estás a ser arrogante! Eu só quero estar contigo quando sentir que faz sentido!

- Estás a dizer o quê? ... Já percebi, tens medo de teres uma desilusão, afinal nunca te ligaste a ninguém, nunca acreditaste dentro de ti que pudesses ser amada! Porque Amar significa perder-se, viste ao longo da tua conversa de engate, falar como nós necessitamos de deixar ir, quando na prática tu dizes todos os dias para ti mesma - "Eu não posso me ligar! Eu não me consigo ligar!". As pessoas ligam-se quando se deixam ir, quando aprendem a acreditar em si! Quando conseguem percebem quem são nesta vida! Porque se usas a velha teoria, de que escolhemos a vida que queremos viver, para aprender, então percebe uma vez por todas, tu escolheste estar aqui, aprender a amar, a deixar de viver com medos de desilusões! TU ESTÁS AQUI E AGORA!

- Aqui e Agora, mas precisas de perceber que eu estou a descobrir quem sou! Preciso de tempo sozinha para perceber quem sou! Eu preciso disto!

- Eu respeito isso! Não esperes que eu fique para sempre a espera que tu te encontres, a sentir sempre como a opção B da tua vida! Enquanto tu vives por todos os lados e quando te lembras de mim, ligas para nos encontrarmos!

- Tu não és a opção B da minha vida! Eu gosto de estar contigo! Mas não me consigo ligar a ninguém, agora! 

- Tu não consegues? Tu não queres! e continuas a dizer-te a ti própria que não consegues ligar a ninguém agora! A vida não te dá margem para planos, ou agarras a vida, ou perdes o comboio! Quando a Vida te tira, tira sempre 3 a 4 áreas para saberes lidar com a transformação e com a potencialidade de transformares a tua vida em algo profundo, em estares em conexão com o poder transformador da Natureza, da Vida, do Universo, do Karma! Quando a vida te dá, dá sempre em demasia, porque é para te ajudar a aprenderes a receberes graças e viveres como os deuses! É potenciar-te a ligar a energia que move o universo, a energia da criação, porque uma dádiva tem sempre a energia da vida!

- Tu precisas de reflectir sobre ti! As coisas as vezes não são assim!

- A sério? Tu viste a terra para viver neste corpo! para viveres as emoções, os comportamentos, os pensamentos, para perceberes as várias dimensões que existem em vários momentos! A vida e a reencarnação nunca em momento algum, é unicamente humana, passas por vários estádios! Ou Alguém não te disse isso? Passas pelo lado em que fazes contemplação, em que assumes outras formas de vida, como uma árvore ou uma planta! Passas pela fase da acção, onde passas por várias fases animais! O Ser humano é só mais uma, não é a mais importante, é só mais uma! Não somos os seres mais evoluídos, quando estamos nesta fase! Ou ninguém te explicou?

- Estás a falar de coisas que não percebes, muitas das teorias não vão nesse sentido! e tu estás muito zangado!

- Vamos falar da nossa pseudo relação analisando as teorias de energia? Já ouviste a falar da Noética? Vai lá a wikipédia! Talvez aprendas um pouco!!! 

- Estás a ser arrogante! 

- Lê e constrói o teu conhecimento! Deixa de ter medo de assumires realmente as mudanças que queres na tua vida! Em vez de estares a procura de um bem estar falso! Alguém que não sabe viver com as suas emoções, no estado e vida que vivência, é alguém que falseia a vida! É batoteiro! Está a trocar os planos com o resto do universo! Tanto conhecimento e tanta ignorância! A vivência de estados de meditação, são possíveis, quando a raiva, como a tristeza, o medo, o nojo, a surpresa e a alegria são vividos com a verdadeira autenticidade da infância, quando se perde essa autenticidade vive-se pela metade! é isso que estás a fazer neste momento na tua vida! Adormeceres os teus medos com pensamentos de bem estar, com reflexões associadas ao passado! 

- Estou cansada de estar a ouvir-te! Eu só quero que percebas que eu só posso estar assim contigo! Tu és um grande amigo! Não consigo apaixonar-me por ti!  De outra forma por ti!

-   Já te perguntaste realmente isto: Porque razão se estamos a viver vidas e vidas sem conta até a eternidade, então porque razão não nos lembramos? Qual é a função disso? Será que é para ajudar a viver o aqui e agora? Focar realmente no momento, Aqui e Agora? No carpe diem, quam minimum credula postero - Seize the day, put very little trust in tomorrow (the future). Goza o dia e põe um pouco de confiança no amanha? 

- Mas é isso que estou a fazer! Estou a acreditar que o amanha vai ser melhor, estou a mudar!

- Diz-me o que mudaste realmente?

- Estou a fazer o trabalho melhor, que antes! Estou a encontrar e a falar com várias pessoas que me estão a ajudar! Estou a escolher ser mais criativa, estou com vários projectos em cima da mesa!

- A sério, o que realmente mudaste?

- Eu estou a fazer o meu melhor!

- Já disseste aos teus pais que te magoaram com as suas ausências, como tu estás a fazer comigo? Já te zangaste com a tua mãe, porque te abandonou? Já a mandaste para o Caralho, porque foi uma covarde? 

- Eu tenho pensado imenso nisso, mas não fiz, e também não tenho de fazer!

- Não fazes tu, faço eu!

- Não vais fazer! Isso não te diz respeito!

- Diz! Quando é a minha vida que estás a mexer e a magoar! Vai para o Caralho! Vai para a merda, não tenho de levar com a merda da tua covardia, porque tens medo de amar, e andas a procura de pessoas que serviam de cobaias para as suas magoas! Merda para ti! Não tens sido em nada uma amiga, como dizes que o sou para ti!

- Tu tens ajudado imenso, eu não te quero magoar!

- Merda para ti! Percebes o quanto já estás a magoar? Percebes que isto doi? Percebes que isto não vai passar? Tens consciência que todos os actos que fizeres nesta vida, te serão devolvidos antes de partires para saldares as tuas contas aqui? 

- Não é assim que funciona! 

- E tu foges a minha dor! Merda para ti! Fode-te na tua iluminação, em momento algum estás a lidar com a tua dor, com a tua tristeza, com os teus lutos, porque realmente se soubesses lidar... estarias a respeitar a minha dor e a perceber que tens de me deixar ir! Tens de me perder, tens de sofrer para cresceres!!!! E não tentavas prolongar algo que só funciona quando tu queres uma ligação efemera e não uma ligação transcendental! 

- Eu tenho de perceber algumas coisas na minha vida, para dar outros passos!

- E eu até lá ficarei a espera? 

- Eu não vou ficar assim para sempre!

- E eu ficarei a espera que tu definas racionalmente, aquilo que me tentas apregoar de flui? A sério? 

- Eu não consigo dar mais!

- Não queres! Mas tranquilo, não tens de dar!

- Sim não tenho de dar, podemos continuar com o que temos, está bom assim!

- Não! Não está e vamos acabar aqui!

- Não temos de acabar, eu vou conseguir ter novo rumo! E tu vais estar mais tranquilo! Recomendava mesmo que pudesses explorar a tua energia, para deixares essa tensão de lado!

- Só assim ficava contigo, fazendo a mesma coisa que tu? Meter a cabeça na areia, como as avestruzes? 

- Eu estou a mudar!

- Continuas a tua rotina, sem alterares nada de especial, e dizes que estás a mudar?

- Eu estou a mudar!

- Nesta conversa de meia hora, já o dizeste mais de 5 vezes! Quando dizes a 1ª estás a informar, quando dizes a 2ª reforças, quando dizes a 3ª estás a começar a rezar, e quando se reza, por norma é para nós que dizemos a oração! Tu neste momento estás a dizê-lo para ti!

- Eu quero a tua amizade! 

- Eu quero uma namorada, uma mulher com quem possa construir um porto de abrigo, e saber que vou estar sempre segura, que vou estar sempre em ligação, que vou ter sempre onde voltar! Que possa partilhar as alegrias, os sorrisos, as tristezas, as zangas! Isso é viver!

- Quero que fiques na minha vida para sempre!

- O sempre é uma ilusão, como foi tudo isto! E não é isto que eu quero! Vamos terminar porque isto não é nada do que eu quero para mim!

- Eu não te quero magoar!

- Magoaste tanto e eu acreditei que esperando tu irias olhar de forma diferente! Como fui ingénuo! Como isto doí! 

- Eu não te prometi nada!

- Prometeste no inicio, por isso eu avancei! Porque acreditei em ti, porque arrisquei... Agora lamento mas não quero ser a tua opção B. Não quero ser a tua última prioridade! Não quero ser só um contacto do telemóvel! Não quero ser só mais uma pessoa com quem te deitas quando te lembras!

- Se queres assim...

- Acabou! 

- Podes continuar como amigos...

- Não! Eu não quero ser teu amigo! Não te lembraste de mim nos últimos meses, não será no futuro que vai mudar! 

- Estás a ser radical!

- Sim, estou! Acabou! Eu vou estar ausente nos próximos meses, assim será mais suportável aprender a deixar de gostar de ti!

- Podemos ir tomar um café quando voltares!

- Se deixas tudo para o karma e para o destino, então se a vida nos recolocar novamente um ao lado do outro, para um café, então que venha ele!

- Podemos depois ver...

- Quando saíres daquela porta será para sempre a nível amoroso! Não haverá mais voltas! E digo-te uma vez! Não vou precisar de dizer mais! 

Olham-se.... em silêncio.

....